segunda-feira, 18 de julho de 2011

É hora de falar a verdade!

Quando Falcão iniciou seus trabalhos de técnico do Inter, deu uma declaração que gerou muita polêmica: “Não temos grupo para brigar pelo título do Campeonato”.

Confesso que achei deveras errada a declaração de um técnico que tinha acabado de assumir um time. Mas hoje, vejo que ele tinha total razão.

• Nossa lateral (mais a direita do que a esquerda, mas a esquerda não á lá essas coisas) é uma verdadeira avenida de cidade pequena em dia de feriado. É tão vazia, que quem passa, não se preocupa em olhar para os lados. Nei é um jogador de grande inconstância na própria partida. Há horas que rasgamos elogios a ele, mas na maioria das vezes, é cruzamento nas costas do Nei, é passe para gol nas costas do Nei, é erro do Nei...

Mas para o próprio, “o resto é resto”. A falta de profissionalismo de nosso Lateral, ao afirmar que não se deve ligar para a torcida, chegou ao limite.

Kléber, há muito não faz uma brilhante partida. Quando não está bem, precisamos continuar com ele mesmo assim, por não temos reserva à sua altura.

• Nossa zaga já passou da hora de ser desfeita. Volta e meia, e Índio e Bolívar estão juntos novamente. Juan é o mais novo titular, e entrou no lugar de Índio, que agora é reserva. Falta agora um bom zagueiro que tire Bolívar da titularidade. Acredito, que Capitão deve servir de exemplo, e cá entre nós, Bolívar não é um bom exemplo a ser seguido.

• Temos 2 volantes na reserva, Tinga e Fabrício (que não é tão ruim assim, tá começando agora...) e 2 titularíssimos, Bolatti e Guiñazú, que fazem uma boa dupla. A diretoria está contratando mais um volante, espero que seja mais um na reserva.

• Nosso craque D’alessandro, precisa de alguém que o ajude na criação, e esse cara se chama Oscar. Mas enquanto não temos a presença do Guri, o Inter sofre nesse setor. Andrezinho, é o mais cotado a assumir tal posição ao lado de D’ale.

Vejo a grande facilidade que temos de criticar D’alessandro, alegando que ele não vem jogando nada. É necessário que os colorados saibam: o Inter depende de D’alessandro até para respirar! Craque sempre resolve, se tiver outros bons jogadores ao lado dele. É deveras injusto jogar a culpa das derrotas nos ombros de D’ale. Muitas vezes (como no jogo contra o São Paulo), ele deu sangue dentro de campo para tentar reverter as situações. Mesmo assim, muitos ainda o criticam.

• Nosso ataque é imperfeito com Damião e Zé Roberto, pois Zé é outro jogador muito inconstante no time e acaba não completando o guerreiro Leandro Damião, que percebe quando a bola não chega até ele, e vai atrás dela (diferente do Alecone).

A solução para o isolamento de Damião não se chama Gilberto. O guri que veio do Santa Cruz ainda não teve muitas oportunidades, mas é bom de bola. O problema é que ele possui iguais características de Damião, e não queremos mais um “passa fome” lá na frente. Também não se chama Alex nem Ricardo Goulart. Nosso camisa 9 necessita de um atacante, com particularidades parecidas com as de Nilmar e Taison: Movimentação, chute a gol, boa presença dentro e fora da área, habilidade e velocidade. Assim, Damião ficaria abastecido de passes com bola no chão, sem tanta dependência de cruzamentos.

Mas, em meio a tantos problemas, encontramos a solução ao menos para um. Enfim, temos um goleiro à altura da camisa 1 de Taffarel e de Clemer. Muriel, ou MUROel, merece a boa fase e a camisa 1 do colorado.

Não é justo culpar Falcão pelas derrotas. Desde a “Era Celso Roth” o time tinha carências e nada foi feito. Falcão coloca em campo quem ele possui no plantel e se não temos um bom plantel, a culpa passa longe de ser dele.

A nova diretoria dá indícios (já a um bom tempo) de conformidade. Não é possível haver tantas barreiras para contratações de reforços a um clube como o Inter. Vemos desculpas e assinaturas de contratos com guris que jogam peladas aos domingos!

Acredito, que Giovanni Luigi está esperando o pior acontecer para tomar uma atitude com relação ao plantel. A demissão de Falcão é um vazio em minha mente. Sabemos que culpa, o Rei de Roma não tem, mas agora já é tarde. Muitos falam sobre Fernandão, Dunga, Cuca, Roberto Siegmman e Fernando Carvalho. Mas a palavra mais concreta neste momento, é CRISE.

O que dó dentro do colorado, não são nem as derrotas em sí, mas o descaso dos “Superiores” com o clube que tanto amamos. A Copa Audi está aí, vamos para a Alemanha com esse time. A maior vergonha de nossa história foi o Mazembe. Mas, para a zebra africana, perdemos apenas de 2 x 0. E contra o Barça? Ah! O Barcelona... Esse já enfrentei antes. Mas antes, tínhamos Fernando Carvalho...

Curta nossa fanpage!