Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

Futuro de Nilmar é o Beira-Rio

Por:Luiz Zini

Os grandes gols de Nilmar foram feitos no Brasil, entre Inter (2002/2004 e 2007/2009) e Corinthians (2005/2007).

Suas duas incursões europeias, Lyon (2004/2005) e Villarreal (onde começou em 2009) não recomendam. Ele foi melhor e mais decisivo nos nossos gramados. Basta perguntar aos torcedores dos quatro times.

Nilmar encontrou seu jogo real no Brasil. Tentou duas vezes a Europa. Não funcionou como todos imaginavam, talvez até ele mesmo. Ficou rico, o que é um mérito. Agora, mais maduro, pode pensar a vida de outra maneira. Tem 27 anos, cinco anos de futebol pela frente de futebol, talvez mais. Ele é um jogador que sofre muito com lesões.

Nilmar pode fixar residência no Beira-Rio, é uma hipótese. Imaginar uma grande carreira no Inter. Fazer história, já fez um pouco, mas pode fazer mais. Com o seu talento e gols, seria um dos jogadores do Inter do novo século. Figura especial em álbuns de figurinhas.

Ele quer ficar, já disse, e o Inter trabalha duro para repatriá-lo. Tu…

Nilmar: "Tenho vontade de voltar a fazer gols no Beira-Rio"

Se dependesse apenas da vontade de Nilmar, a diretoria colorada já teria anunciado o atacante como reforço do Inter para a busca do tetracampeonato do Brasileirão. Convicto de que não estará na Europa na próxima temporada para ajudar o rebaixado Villareal a retornar à elite do futebol espanhol, o ex-camisa 9 do Beira-Rio interrompeu as férias com a mulher, Laura, e a filha, Helena, e abriu as portas de sua casa, no bairro Bela Vista, na Capital, para receber a reportagem de Zero Hora. Em um bate-papo de cerca de 30 minutos, o craque revelou o que todo torcedor que veste vermelho no Estado quer ouvir: o desejo de retornar ao Brasil e, pela terceira vez, encantar a torcida.

"Tenho vontade de voltar a fazer gols no Beira-Rio. Sempre que venho a Porto Alegre, acordo pela manhã e quero treinar. Estranho, né? Aí eu mato a saudade vendo os jogos do Inter pela televisão."

Para que a vontade de Nilmar se concretize, o empresário Orlando da Hora está na Europa para negocia…

Espírito de luta venceu, mas e a defesa?

Dorival saiu de Porto Alegre com o pensamento do empate, tanto que enfiou 3 volantes no time. Com 15 minutos de jogo já tava 2 x 0 para o Flamengo e ele não fez nada. O Inter não tava jogando mal e Dátolo, mais conhecido como "o sozinho", estava criando boas jogadas e o colorado chegava no ataque. Mas o nosso problema não é o ataque e sim nossa péssima defesa.

Não dá mais para manter Índio, todo mundo viu que o Wagner Love só jogava em cima dele, pois sabia que ia ganhar a jogada. A direção ainda quer renovar com ele! Chega! Ainda mais fazendo pênaltis infantis! Daqui a pouco o Moledo leva uns cartãozinhos amarelos, fica fora, e o Bolívar volta pra fazer dupla com o Índio! Não dá mais!

Gilberto fez o gol? Haha, piada. Quando eu vejo ele em campo, me dá uma saudade do Alecone e do Edu. Pelo amor de Deus!

O fato é que o Inter voltou para o 2º tempo sem o tal de Josimar (cruz credo, a gente cuspiu na cruz, não é possível!) e veio com o tal de Maurides (cruz credo, a gente jog…

Um autêntico Campeão de Tudo

Ser colorado não é algo fácil de definir. A corneta constante, os temores pelo pior e o grau de cobrança podem parecer, à primeira vista, que se trata de uma torcida exigente e distante do seu clube. A um passo da vaia e do abandono. Mas não se engane! Ao primeiro sinal de luta, os vermelhos se vestem pra guerra e dão demonstrações de que se trata na verdade de uma torcida incomum. Ruas se enchem de fogo, hotéis são acordados com foguetórios, trajetos ao aeroporto são tomados, em poucos minutos por hordas de abnegados insandecidos, com suas bandeiras, bonés e camisas rubras.

Não é fácil compreender como aquele cara que criticava, xingava, se desesperava e dava como certa a tragédia, de repente se fardou de Inter e saiu pra rua, agora pronto pra dar o sangue pelo seu clube. Quando se vive a intensidade de uma relação real, não se fala em imortalidade. Por que se vivem bons e maus momentos. Vitórias e derrotas. E o colorado é alguém vivo, que sente fortemente tudo o que o seu clube vive…

Brasil, o país do time misto

Por:Luiz Zini

Clubes, jogadores, dirigentes, técnicos e torcedores ainda não entenderam o conceito do Brasileirão. Em nome da Libertadores e da Copa do Brasil, alguns times usam reservas, mistos reforçados com o banco do banco. Esfriam a estreia da mais importante competição nacional. Afastam o torcedor do estádio, o viciam ainda mais no PPV.

A média de público em 2011 não encostou nos 15 mil torcedores por jogo. Não vai melhorar tão cedo.

Ao contrário da Europa que, em começo de temporada, usa todo mundo em todas as competições, o Brasil poupa. O futebol recomeçou no final de janeiro, 17 semanas em ação, e os mistos já estão campo e ilustram até o Corinthians, campeão no ano passado. Não há sentido porque não existe desgaste. Ainda.

O início do Brasileirão se choca com as quartas de final de dois torneios célebres. Ao contrário de países onde a profissão de atleta está mais avançada, conscientizar jogador brasileiro na sua casa é mais difícil.

Lá fora, ele ouve mais, se concentra mai…

Castigo para os alemães

Fonte: Grêmio Piada

Ainda achei pouco!

1ª vitória. Que venham mais

Começar com vitória no brasileirão é sempre muito bom. Difícil é manter a postura o campeonato inteiro. O fato é que a torcida foi, apoiou e o Inter venceu. Não houve brilhantismo do time, senti até uma certa acomodação no 2º tempo que me irritou um pouco.

A troca de passes para o 2º gol foi maravilhosa, digna de aplausos. Foram 14 passes até a conclusão de Dagoberto. Não houve pressa e sim construção de uma boa jogada. Quero mais disto. O gol de Damião foi muito bonito, pois o centroavante não desistiu do lance, o que dá mais crédito para ele.

No 2º tempo o Inter deu mais espaço para o Coritiba tentar jogar. Não deu em nada, mas demos algumas bobeiras. Fabrício não jogou bem, assim como é de praxe Élton. Guiñazú a aplicação de sempre e Oscar mandando ver nos dribles.

Na saída de campo, Damião disse que o grupo está muito focado. Assim espero. Juro que quero acreditar nisso. De uma coisa eu sei - quero D'alessandro contra o Flamengo.

O jogador mais cobiçado do Brasil

Fonte: Futirinhas.com

Todo mundo quer!

Submarino Amarelo afunda e Nilmar desabafa: "Um ano para esquecer"

Uma temporada para nosso ídolo Nilmar definitivamente esquecer. Na tarde de domingo, o Villarreal acabou rebaixado. O rebaixamento aconteceu faltando apenas cinco minutos para terminar o campeonato. O artilheiro da Europa League, Falcão García, marcou aos 43 minutos do segundo tempo o único gol do Atlético de Madrid, no estádio El Madrigal. O Villarreal perdeu pelo placar mínimo em casa, mas foi o suficiente para acabar com a temporada do ‘submarino amarelo’ e de Nilmar.

Nilmar comentou sobre a situação do Villarreal:

"Nós não fizemos o que tínhamos de fazer toda a temporada. Eu nunca tinha passado por isso, um ano para esquecer. Os fãs estão tristes, mas nós que jogamos, muito mais."

É triste demais, mas temos que concordar que tudo foi questão de incompetência administrativa do clube espanhol. Em minha modesta opinião, sempre achei a ida de Nilmar para o Villarreal deveras precipitada e errada. É um clube pequeno demais para um jogador como Nilmar. Desejo do fundo do meu cor…

Súbita alegria

A eliminação na libertadores é um peso em nossas costas que não desaparecerá tão cedo. Mesmo diante de muitas incertezas, a torcida não abandonou o time. Eu não abandonei. Confesso, estou ainda muito triste com o que aconteceu quinta-feira e sabia que mesmo com a conquista do gauchão, essa tristeza não diminuiria. E achava sim, que o Inter poderia perder esse título e agravar mais nossa situação. Mas não, estava enganada. Esqueci que depois de uma derrota, não se deve abaixar a cabeça. Só sei que deixei de passar um domingo mais tranquilo, com a minha família comemorando o dia das mães, para apoiar o time que me faz verdadeiramente feliz - na alegria e até mesmo na tristeza.

Foi difícil ver nosso 1º tempo. O rosto de D'alessandro estampava uma preocupação que todos sentiam. Quando tomamos o gol, eu vi um gigante estremecer, ruir, em questão de segundos. Digo segundos, pois nada melhor que o alívio de ter um camisa 10 que salva, e salva sempre. Quando D'ale, enfim entrou, com …

Assumindo as hipóteses

Horas antes do jogo de ontem, estava eu lendo a reportagem feita pelo globoesporte.com, sobre Luís Fernando Veríssimo e seu jogo inesquecível. O repórter o questionou sobre o Inter de hoje. O escritor apenas disse: "O Inter é um time hipotético".

Fiquei pensando nessa frase o jogo inteiro, como se ele tivesse realmente dito uma verdade difícil de engolir. Mas, Veríssimo não mentiu. Desde meados de 2010 vivemos de hipóteses. Volta e meia temos infinitas incertezas no time - cito em especial a zaga e a lateral. Todos falam as mesmas coisas desde que perdemos para o Mazembe, e desde o mundial, temos as mesmas hipóteses: Ah, ano que vem vai ser melhor; Ah, agora vamos focar no Brasileirão; Ah, o time é muito bom... e blá, blá, blá..."

Dorival Jr. entregou o jogo para um Fluminense nada assustador, que jogou atrás todo o tempo. O Inter mandou no jogo inteiro! Mas Dorival ficou com 3 volantes e 1 atacante até 20 minutos do 2º tempo e queria vencer o jogo de qualquer forma. U…

Por essa o Prof. Girafales não esperava

O choro do alívio

Um jogo diferente só pela simples presença de Oscar na lista dos titulares. Ele é a nossa esperança de bom jogo quando temos tantos desfalques importantes. Mas a partida foi, digamos, difícil. Perdemos muito em produção sem Dátolo. Mas fomos com Jajá e Oscar mesmo, até porque nosso time era metade reserva.

Deu no que deu, empate fora de casa, com um lindo gol de Oscar. No Gigante teremos nossa força máxima e nossa torcida lotando qualquer espaço vago.

Focando em Oscar nesse momento, quero dizer que ele chorou porque, depois de 47 dias impedido de exercer sua função e utilizar do talento concebido por Deus, ele se reencontrou com o alivio de jogar futebol. O choro angustiado de uma pessoa massacrada pela injustiça dos ambiciosos paulistas, invejosos de não possuírem tal jóia. A jóia que teve sua realização como profissional diante do Gigante de concreto chamado Beira-Rio.

Oscar marca sua volta triunfal com um belíssimo gol, sob olhares maliciosos daqueles que ainda desejam o prejudicar…

E Oscar vai para...

Dia do Trabalho