sexta-feira, 2 de setembro de 2011

A vergonha do Sul ataca novamente!

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, em reunião realizada nesta segunda-feira, definiu a proibição da torcida Geral do Grêmio de ingressar no estádio Olímpico. A medida cautelar é fruto de incidentes ocorridos durante o clássico Gre-Nal de domingo. Uma reunião com a direção do clube, na terça, visa operacionalizar a situação, já que a Geral não é uma organizada, portanto, os aficionados não são cadastrados ou há uma sede oficial.

No intervalo de partida, uma briga entre a Geral e a Máfia Tricolor - organizada do clube - gerou a prisão de oito pessoas. Um homem, gravemente ferido, foi encaminhado ao HPS, mas posteriormente liberado.

Além disso, outras cinco ocorrências por porte de drogas [maconha e cocaína] foram realizadas. Os portadores das drogas deverão pagar, cada um, multas de R$ 300,00. Os valores são destinados ao Lar Santo Antônio dos Excepcionais, entidade de assistência social a deficientes. Nas outras, não houve transação penal e as partes irão a julgamento.

Após o jogo, membros da Geral do Grêmio tentaram invadir o Juizado Especial Criminal [JECRIM] do estádio Olímpico para liberar os presos. Impedidos pelos policiais presentes, eles invadiram uma residência nos arredores do estádio.

Todos os oitos participantes da briga, além de pagar a multa de R$ 100,00 foram também proibidos por três meses de frequentar os jogos no Olímpico. De acordo com o MP, o fundamento da medida é estancar o conflito entre as torcidas.

A proibição da presença da Geral nos jogos do Grêmio é uma medida cautelar, portanto passa a vigorar até que o Ministério Público receba todos os autos do processo. A pena pode ser ampliada para três anos. O próximo jogo do Grêmio em casa está marcado para o fim de semana, contra o Atlético-PR. Até lá, clube e Ministério Público visam acordo sobre o tema.

Fonte: UOL

Sem palavras...

Curta nossa fanpage!