quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nilmar apresenta o seu refúgio no interior do Paraná

Nem a fama e tampouco o sucesso profissional foram capazes de tirar a simplicidade de Nilmar Honorato da Silva (27), o Nilmar. Quem vê a luxuosa Fazenda Santa Maria, a 17km de Bandeirantes, sua cidade natal, no Paraná, pode achar que ele gosta de ostentação, mas se engana. Dono de jeito brincalhão, o jogador de futebol nunca esqueceu suas raízes e faz questão de passar tempo com a família e manter os amigos por perto.  

“Sou uma pessoa caseira e simples. Muitos vêm aqui e falam: ‘Que lugar bonito’. Só que o que gosto mesmo é de vir para cá pescar, jogar bola com os amigos, chupar cana e pegar frutas no pomar”, lista o atacante do clube espanhol Villarreal durante passagem pelo Brasil.

Ao lado da mulher, Laura (25), com quem tem Helena, que completa 2 aninhos no dia 21, o craque recebeu CARAS com exclusividade em seu lar no campo.

Além de ter trilhado história de sucesso nos gramados com as camisas do Internacional, de Porto Alegre, Corinthians, pelo qual foi campeão brasileiro em 2005, e Lyon, da França, tendo conquistado o campeonato do país na temporada 2004-2005, ele traz na bagagem a participação na Copa do Mundo de 2010 e o título da Copa das Confederações, em 2009, ambas com a Seleção Brasileira.  

"Desde os 6 anos, jogava futebol na rua e no colégio, e meu sonho era participar da Seleção, de um Mundial. Mas não imaginava que conseguiria tudo isso que tenho hoje, ainda mais a possibilidade de ajudar minha família. Faço tudo por meus pais, porque sei o quanto eles sofreram para criar três filhos em tempos difíceis”, revela ele, citando os pais, Nilton (57) e Marisa (57), e os irmãos, Tatiane (34) e Fabricio (29).  

“O ‘Nil’ vem do meu pai e o ‘Mar’, da minha mãe. Só os meus irmãos têm nomes normais”, diverte-se o atleta, cujo passe é cobiçado por equipes como o próprio Inter — com o qual venceu o Campeonato Gaúcho em 2003, 2004, 2008 e 2009 e a Copa Sul-Americana, também em 2008 — e o Dínamo de Kiev, da Ucrânia.  

“Sobre o Colorado não há nada definido. Há o interesse, assim como o de outros clubes. Quero acertar com um grande time que me proporcione conquistar títulos”, conta ele.

– Por que construíram aqui?
Nilmar – Em 2006, comprei a terra, onde só havia uma casa velha. Limpamos tudo e começamos a fazer a sede dois anos depois. Queria uma casa de campo em um lugar tranquilo e escolhi aqui porque é perto da minha cidade.

– Como é ser casada com um jogador de futebol?
Laura – Não é fácil acompanhar, mas já me acostumei. No início vinham várias mulheres abraçando, beijando, tirando fotos. Hoje, não sou ciumenta. E também é difícil ter estabilidade, sempre há chances de mudar de time. Por outro lado, para a família do jogador, na Espanha a qualidade de vida é ótima. Nilmar está sempre em casa, é bem família.

– A que creditam o êxito do relacionamento de vocês?
Nilmar – Acho que a nossa relação dá certo por causa da parceria. Por mais que ela não goste de algo, está sempre do meu lado, e vice-versa.

– Vocês são românticos?
Laura – Não sou muito, e ele também não. (risos)


– O que ele já fez de mais romântico?

Laura – O pedido de casamento, no meu aniversário de 21 anos. Fizemos uma festa em um bufê, ele parou a música, pegou o microfone do DJ, estava morrendo de vergonha, e chamou o meu pai. Eu não estava esperando. Ele também  manda flores nas datas especiais.

– O que mais admiram um no outro?

Laura – A bondade dele. Ele é uma pessoa muito boa, com a família, comigo, com a Helena, com a minha família.
Nilmar – A firmeza dela. Ela tem pulso forte. Me surpreendi também com a mãe que ela é.

– A chegada da Helena fortaleceu a união?
Nilmar – É a nossa melhor fase. Achava que éramos felizes antes, mas com a Helena está ainda melhor.

– Ser pai te transformou?
Nilmar – Demais, agora a vida é só para a minha filha. Quero sempre ir logo para casa depois do treino e dos jogos para vê-la, fico ligando a toda hora quando viajo.

– O que a Helena puxou de cada um de vocês dois?
Nilmar – Ela é tranquila como eu e vaidosa e simpática como a mãe. Brinco que ela se parece com o ‘piscineiro’ lá de casa. (risos) Ela nasceu muito bonita, puxou a Laura. A mim, só o branco do olho.

– O que já ensinam à Helena?
Nilmar – A valorizar o que podemos lhe dar. Graças a Deus, ela terá uma vida boa, mas não queremos que pense que tudo é fácil. Ela precisa saber que lutamos para chegar até aqui.

– Desejam ter mais filhos?
Laura – Queremos mais um. Um casal seria ótimo.
Nilmar – Sempre quis menino, para levar ao campo, entrar no vestiário. Ao ter uma menina, vi o quanto quero outra. Mas se vier um garoto ficarei feliz. Estamos aguardando a definição de contrato para planejar outro filho.

Fonte: Revista Caras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa fanpage!