domingo, 18 de dezembro de 2011

Iarley: "Tínhamos muito mais fome de vitória".

Em entrevista à Rádio Guaíba, Iarley comentou sobre a fraca atuação do Santos na final do Mundial. Veja aqui alguns trechos.

Comparando as equipes

"Olhando o jogo hoje, a gente vê o quanto a gente jogou. Demonstra que tínhamos uma mentalidade boa, sabíamos o que queríamos. O primeiro tempo do Santos foi praticamente observando. Em nenhum momento ficamos esperando o Barcelona. Marcamos em cima, o que o Santos hoje não fez. As palavras do Neymar no fim do jogo demonstram que o Santos entrou pra ver o que ia acontecer. Nós entramos para fazer acontecer. Tínhamos muito mais fome de vitória. Respeitamos o Barcelona, mas em nenhum momento tivemos medo do Barcelona".

A raça do Inter, que faltou ao Santos

"Você compara o espírito dos jogadores e por aí você tira. Teve jogador do Santos que saiu com dor lombar. O Índio quebrou o nariz e continuou jogando. E foi o Edinho que deu a cotovelada, para ver a vontade que a gente tava. O Índio sangrou, saiu e nós já começamos a dizer pra ele: 'Volta que isso aí não é nada', e ele voltou".

A iniciativa de fazer o tempo passar

"O Barça gosta da bola no pé. Eu não poderia naquele momento querer fazer jogadas, ir para o ataque, porque seria mais posse de bola para eles e mais possibilidade de fazerem o gol de empate. Então foi uma estratégia pessoal, de aproveitar uma característica minha que é segurar a bola. Fui lá, segurei, sofri falta, depois teve escanteio. Lembro o Deco e o Ronaldinho nervosos com os defensores porque não conseguiam tirar a bola de mim. O Ronaldinho gritava: 'tira a bola, o tempo ta passando'. Ainda vejo o Deco vindo correndo, o Rafael Marquez pisando na minha mão. Ali eles se perderam".

Fonte: Correio do Povo

Entrevista na íntegra? Clique Aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa fanpage!