segunda-feira, 4 de maio de 2015

Onde a grandeza supera a rivalidade

Vocês não entendem e nunca entenderão.
O Inter é mais do que futebol. | Foto: Alexandre Lops
A graça se esvaiu pois a alegria está impregnada em nossos corpos. Como o filme persiste na repetição, o final se torna esperado demais. Jogar estadual deixou de ser algo entre os rivais, afinal, não se pode jogar com um rival quando já não se tem um. O vermelho rubro que trajamos não deixa mais espaço para o azul do estado. As bandeiras do Rio Grande sempre nos avisaram - verde, amarelo e vermelho. Nada mais.

Eis que entra nosso capitão, entendedor da vitória iminente. No entanto, joga como se não soubesse que seus braços mais uma vez estão preparados para levantar a taça. A velocidade de Nilmar impõe o respeito que rival algum conseguiria atingir e a eficiência do time faz brilhar os olhos aguerridos de cada ser de fé rubra.

A rede balança e a esperança dos gremistas quase não se mantem de pé. Quando a cena se repete, quem é que junta forças para apoiar o ceticismo? O coro da torcida ecoa pelo estádio e chega em meu coração como a mais bela música já sentida. Em um relance, vejo um gol. Mas o destino, meu amigo, é arrasador - Giuliano pagaria o mais alto preço na tarde daquele domingo. Mudar de lado talvez tenha sido uma de suas piores decisões, pois quem esteve aqui de corpo e alma não consegue deixar esse espírito morrer.

E quem deixa, não encontra felicidade. 

O guri Valdívia se emociona, tem seu nome gritado das arquibancadas juntamente com o de Diego Aguirre, o corajoso treinador, que recebe seu primeiro prêmio após aguentar firme as críticas dos infelizes que nunca tem nada a dizer. Enquanto isso, torcedores gremistas brigam entre si. O que há de errado com eles, afinal?

- Bom, eles não são como nós.

Dizem que rivalidade consiste em dois grandes clubes que travam batalhas para provar quem é o melhor do estado. Mas tenho dito, desde muito tempo, que a rivalidade desistiu de nós. A supremacia decretou e não volta atrás - o Internacional é o maior do Rio Grande, aceitem. Não há argumento que bata de frente com a grandeza desse clube. 

"Estranho seria se o Beira-Rio estivesse calado, sem a taça pousada em seu gramado e sem o sorriso diário no rosto de cada torcedor. Hoje sei, mais do que nunca, que o melhor presente que Deus me deu foi o amor pelo Inter. Não há nada maior."

 Os gremistas são apenas sonhadores sem fé. Nós somos a junção de vontade e crença e é por isso que sempre chegamos lá. 

4 comentários:

  1. só mesmo uma alma feminina pra compor um texto desses, parabéns menina.

    ResponderExcluir
  2. Jéssica!!! A cada texto seu, a nação colorada te admira mais e mais!!! O Pedro Ernesto da rádio gaúcha diria assim pra ti guria: "Tu é dimóóóisss...!!!"" :)

    ResponderExcluir
  3. Ô meu querido, obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir

Curta nossa fanpage!