quinta-feira, 21 de maio de 2015

Não temas demais

Ah, Nilmar! Por que você não marcou aquele gol!
Foto: Alexandre Lops

Entre um jogo de futebol e outro a gente sempre escuta que quem entra em campo com a intenção de apenas se proteger, se arrepende. Ainda mais quando existem duas barreiras - o adversário e a altitude da Colômbia. Jogar apenas no erro do outro é pouco para libertadores.

A partida foi longe de ser um espetáculo de futebol protagonizado por Inter x Atlético-MG. O Santa Fé começou e terminou a partida pressionando o Inter contra seu próprio campo. A defesa dos colombianos esteve blindada por quase todo tempo. O Inter não conseguia chegar. Os erros de passe em demasia de Sasha e a pouca aproximação entre os setores defensivos e de criação forçaram o colorado a manter um ritmo de jogo pouco comum. 

A marcação colorada era dividida em duas partes - no setor mais ofensivo, o Inter fazia marcação individual e no setor defensivo, marcação por zona. O problema foi jogar recuado.

D'alessandro se deixou levar pelo momento e não admitiu calado a maldade feita pelo jogador adversário. O Inter só passou a jogar mais depois que o camisa 10 ordenou que a bola ficasse apenas no chão. 

Com o gramado molhado, os passes eram sempre muito esticados. O segredo seria acelerar um pouco o ritmo de jogo e ter o domínio da bola. A arbitragem duvidosa também não ajudou. No segundo tempo, o Santa Fé chegou ao gol do Inter com perigo por duas vezes consecutivas, fazendo meu coração acelerar.

O time estava exaurido, não tinha mais fôlego. Aguirre resolveu retrancar ainda mais e levar o 0x0 para Porto Alegre. Mas seu desejo não foi realizado. Não consegui nem xingar quando o gol deles saiu no fim da partida. 

A derrota de ontem serviu de aviso, afinal, temos time para pressionar os adversários dentro e fora de casa. No Beira-Rio, a pressão pelo bom resultado será maior e nossa torcida estará lá para proporcionar aos colombianos uma experiência única de amor incondicional. 

Curta nossa fanpage!