domingo, 27 de outubro de 2013

Boa atuação barrada pela arbitragem

Foto: Alexandre Lops / Divulgação Inter
Se dependesse da eliminação de quarta, o Inter nada jogaria nesta tarde, mas aparentemente o grupo não se deixou abater por estar fora da Copa do Brasil. O jogo eletrizante nos fez relembrar os mais belos duelos entre Inter e São Paulo, marcados por triunfos colorados em forma de taça libertadores. O Inter que todos queremos ver finalmente apareceu, mas como de costume, a arbitragem barrou a boa atuação colorada. 

O Inter começou o primeiro tempo de forma arrasadora, buscando o gol a qualquer custo com seu meio campo dotado de criatividade inquestionável - Alex esteve bem durante toda a partida e ajudou muito na criação ao lado de D'alessandro e Otávio. Mas como de costume, o adversário saiu na frente - logo aos 9 a defesa vazada do Internacional deixou Aloísio sozinho para marcar. Não seria erro apenas da zaga depois de olhar que o atacante são-paulino estava impedido.1x0.

Bons jogos têm uma característica que é essencial: o tempo de bola rolando. Poucas faltas foram cometidas, embora os dois times tenham abusado de passes errados (34 do Inter e 21 do São Paulo). O jogo foi movimentado e chances claras de gol apareciam mais do lado colorado que precisava ser mais competente na pontaria - principalmente Fabrício com seus chutes de longa distância que raramente (ou nunca) acertam o alvo. 

As infinitas tentativas de Damião acabaram em gol do centroavante, aos 32 minutos. Depois de arrancar, deixando os marcadores para trás, o camisa 9 estufou as redes, saindo para comemorar dedicando o gol ao seu futuro herdeiro.1x1.

Ao que tudo indicava, o primeiro tempo terminaria empatado, mas o colecionador de elogios pagou pela inexperiência - João Afonso cometeu falta boba dentro da área - pênalti pro São Paulo que aos 44 minutos deixava o marcador em 2x1.

O Inter voltou do vestiário ainda com a mesma vontade da primeira etapa e seguiu tentando reverter o resultado. Logo aos 2 minutos do 2º tempo, após falha de Ceni, Jorge Henrique deixava tudo igual no Centenário. 2x2. Com todas as bolas passando pelos pés de D'alessandro, o colorado envolvia o time paulista, trocando passes rápidos mas com alguma dificuldade em penetrar no sistema defensivo do adversário. Porém aos 8, o juiz marcava mais um pênalti pro São Paulo e Muriel, novamente, foi batido. 3x2. 

Alex seguia bem na partida promovendo diversas chances de gol para o Inter até ser substituído inexplicavelmente por Clemer, que preferiu colocar Caio - o menino que corre pra não chegar. Damião ainda se lesionou, piorando a má fase que o perturba até mesmo quando consegue marcar. Poderíamos ter empatado a partida se o juiz tivesse marcado o pênalti claro a nosso favor ao invés de marcar falta fora da área. Este ano não entro mais no assunto de arbitragem - tudo tem limite.

O São Paulo teve uma nítida liberdade pelo lado direito da defesa do Inter, onde esteve Gabriel correndo atrás do adversário quando este já estava dentro da área cruzando em direção ao gol. O ex-reserva do grêmio começou bem o ano, mas como em todos os times que passou, tende a ficar preguiçoso, aparecendo apenas em alguns momentos na partida de forma eficiente. Ele está no topo da lista de dispensa para 2014 e abaixo dele estão Fabrício e Kléber. Que a direção procure bons laterais marcadores - no nível que chegamos eu procuraria até alguém da base.

Falando em base, percebo que volta e meia aparecem notícias de guris das categorias de base que parecem estar sendo chocados e nunca são revelados. É proteção para não queimar os garotos ou a direção pretende emprestá-los para o Goiás mais para frente?

Não deem adeus ao G-4, a direção fez isso no início do ano e desde lá percebi que o Inter seria apenas um time para completar a tabela do campeonato brasileiro de 2013. A derrota de hoje é vista por mim como "não-merecida", mas no futebol não existe merecimento - isso é uma desculpa, pra quem de uns tempos pra cá acostumou a perder.

Curta nossa fanpage!