domingo, 11 de agosto de 2013

Um ponto a menos para a defesa

Foto: Alexandre Lops
Casa nova, torcida animada com Alex e Scocco de titulares. O jogo de estilo defensivo e a defesa do Inter vira pauta pra esse pequeno texto. Eu e minha pergunta recorrente - até quando? 

O Inter leva um gol relâmpago em menos de um minuto e esquece como joga futebol. "Ah, mas o D'alessandro foi muito marcado" - e o Alex está aí pra quê? Justamente pra dividir as funções com o gringo, diminuindo o peso que o camisa 10 carrega jogo a jogo. Nossas laterais não ajudaram nem um pouquinho na partida de hoje, afundando o time e forçando as individualidades da equipe. 

Kléber nem deveria estar mais no Internacional, porém Dunga gosta de jogador experiente, seja ele quem for. Partida após partida eu repito aqui, tô esperando deitada o Kléber voltar a jogar o futebol que já jogou com a camisa do Inter. Fabrício é de longe muito melhor e até mais esforçado. Já na lateral direita eu tenho ataques do coração ao ver Ednei. Não é, sem dúvidas, um jogador de futebol. Gabriel, ruim com ele, pior sem ele (isso me lembra o Nei).

Sobre a nossa defesa, torno a falar sobre a venda de Moledo e a não reposição. Eu sabia que o Inter poderia marcar muitos gols com esse ataque e com esse meio campo, mas a defesa seria muito vazada. Juan não vai dar conta de tudo alí na área e Ronaldo Alves não pode ser chamado de zagueiro ou até mesmo de jogador de futebol.

Resumindo em uma bela frase, sumam com Ednei, Ronaldo Alves, Kléber e Airton, sendo que este último não terá a honra de ganhar linhas sobre sua pessoa neste texto.

Juan, novamente nos ajudou no ataque e Otávio nos salvou no fim. Logo Alex e Scocco se entrosam com D'alessandro (no caso de Alex, se entrosa novamente) e nosso meio campo e ataque terão transição e resultados totalmente positivos. Porém, a defesa continuará vazada. E não se ganha campeonato tomando gols na mesma proporção que os faz.

Curta nossa fanpage!