domingo, 25 de agosto de 2013

Hora de promover mudanças

Foto: Alexandre Lops / Divulgação Inter
O Inter tem uma característica forte, ser diferente. Em história, em conquistas, em torcida e até em ditado. Quem não faz leva? Não, quem faz leva e na mesma proporção. Infinitamente superior, o Inter segue fazendo muitos gols e mesmo jogando muito bem não consegue três pontos. E mais uma vez nosso assunto principal se torna a defesa, algo que não me surpreende nem um pouco.

Mesmo com as condições climáticas desfavoráveis e um gramado difícil, o Inter começou a partida e se impôs durante todo o primeiro tempo, jogando sob a maestria de D'alessandro e a velocidade competente de Jorge Henrique, provando cada vez mais que criar jogadas e fazer gols não é problema para nosso time. Com isso, não demorou muito para o Inter abrir o placar, com bela jogada e chute de nosso camisa 10, aos 27 minutos. Porém, logo aos 36 minutos, o Inter já levava o primeiro gol.

Voltamos do vestiário e na mesma intensidade o Inter se manteve no ataque. Logo aos 8 do segundo tempo, Forlán marcou um belo gol com passe de D'alessandro, mas nossa querida auxiliar Neuza Inês Back resolveu não dar o gol, começando a nos prejudicar na partida ali mesmo. Com a entrada de Scocco, o time ficou ainda mais forte ofensivamente, trocando muitos passes, porém errando muitos também.

Aos 26 minutos, o Goiás já virava o jogo contra o Inter e aos 30 marcava mais um, alterando o cenário matemático de superioridade colorada na partida. Dado as circunstâncias Dunga mexeu no time, sacando Kléber e Ednei, promovendo a entrada de Alex e Caio. A resposta logo veio aos 32, com bela jogada individual de Caio que resultou em gol contra e aos 41, em golaço do melhor centroavante do país, Leandro Damião. 

Detalhe para a arbitragem que já tinha anulado um gol legítimo do Inter e no minuto final da partida não marcou o pênalti em Damião. Sinceramente, se aquilo não é pênalti, eu desconheço o que é.

E aqui começamos a falar dos problemas defensivos que eram esperados depois que Moledo rumou para a Ucrânia. Ronaldo Alves não é e nunca será um substituto a altura de Moledo. Não entendo a insistência de Dunga a respeito desse jogador. Aparentemente ele começou bem o jogo de hoje, mas quando o jogador não tem qualidade, não tem jeito, cedo ou mais tarde prejudicará o time todo. Nosso treinador rasga elogios a Alan, então por que não coloca o menino pra jogar? Contra o Atlético-MG ele jogou muito bem e não nos prejudicou. Dunga não tem tantas opções, isso é fato, porém pode testar o que tem a disposição, o importante é modificar o cenário atual da defesa que está um caos.

Quando foi anunciada a venda de Moledo, eu esperava o mínimo de senso da direção pra ir atrás de um bom zagueiro. Mas isso não aconteceu e vemos as consequências de engrandecer demais os jogadores que temos pra essa posição. Coloquemos agora na balança a culpa de Dunga e da direção nesse quesito. Dunga tem que trabalhar com o que tem, tem Alan e insiste com Ronaldo Alves. Para a direção temos excelentes zagueiros, não há nada de errado. Com isso, continuamos parados na tabela do brasileirão, somando empates e mais empates, vendo o título longe mais uma vez.

Outra coisa, precisamos de um bom goleiro. Muriel é mediano e vendo as duas últimas atuações de Alisson não dá pra falar muito, porém acredito que ele seja melhor que o irmão. Mas não podemos ficar com o "menos pior". Já passou da hora da direção tomar vergonha na cara e ir atrás de um bom goleiro que seja capaz de fechar o gol colorado. 

Faço uma observação sobre Ednei e sua qualidade que é esmagada pelo peso da camisa que ele sente. Espero que Gabriel volte logo. Aliás, Dunga está estragando Jorge Henrique naquela lateral e falando em lateral, ainda não entendo a insistência de nosso treinador com Kléber.

É impossível deixar de falar do poder de reação do time colorado. Mesmo com resultado desfavorável, vemos o time utilizar de seu poder ofensivo pra tentar reverter a situação. O destaque do jogo de hoje não poderia ser ninguém menos que D'alessandro e sua maestria. Realmente, o camisa 10 está em um ano fantástico! Gols, belas assistências e jogadas dignas de destaque.

Lembro de Dunga e seu discurso sobre equilíbrio. Ele realmente está apostando tudo em equilíbrio, pois já são 27 gols feitos e 24 tomados. Realmente um belo equilíbrio nada favorável.

D'alessandro deu entrevista após a partida, se afirmando cada vez mais como um capitão capaz de chamar toda a responsabilidade para si e deixou claro que precisam haver mudanças, dizendo que prefere que o time jogue bem a ter resultados positivos não jogando nada. Porém o Inter não está conseguindo três pontos por partida com o futebol bem jogado.

Tudo isso está na mão de Dunga. Está na hora do técnico colorado entrar em cena e promover as mudanças para que os resultados sejam positivos tanto quanto o futebol jogado vem sendo.

Curta nossa fanpage!