quarta-feira, 2 de março de 2016

Fé no sangue novo

Gurizada colorada merece voto de confiança.
Foto: Divulgação/Inter
Um time veloz, com mais vigor físico e com o carimbo do celeiro de ases – estas são as características do atual elenco do Inter. A média de idade do grupo despencou desde a saída de D’alessandro e hoje chega aos 24 anos. Cito aqui motivos que me fazem acreditar nos garotos que hoje somam seus talentos para suprir a falta do argentino camisa 10. 

Vontade de mostrar trabalho: Após a revelação, o desejo dos jovens jogadores é colocar em prática todo o conhecimento adquirido ao longo dos anos na base do clube e mostrar trabalho. Partindo deste princípio, espera-se uma demonstração de vontade maior do que jogadores com carreira já consolidada. 

Ser ousado: O “fazer diferente” também é um pensamento que passa pela cabeça dos jogadores recentemente revelados. Espera-se, portanto, ousadia dos garotos, que procuram impressionar para serem vistos de forma singular. 

Entrar para a história: Se espelhando em grandes ídolos do futebol brasileiro, os garotos passam a implementar o pensamento de que apenas o trabalho diário e o conjunto de realizações jogo após jogo em prol de um time/torcida, cria a imagem de um atleta que faz história no clube. 

Ser ovacionado: Jogadores como Valdívia, que com apenas 21 anos já são ovacionados pela torcida e têm seus nomes gritados das arquibancadas, servem de inspiração para os jovens revelados que obviamente desejam o mesmo. 

Ter uma carreira admirável: Todos os jogadores de futebol, desde sua entrada em uma escolinha até o momento da revelação têm um objetivo em comum: ter uma carreira admirável. Isto é, passar por grandes clubes deixando marcas de seu futebol. Mas para que o desejo de ir para outro país ou para outro grande clube brasileiro se concretize, é necessário mostrar seu talento. E o clube pelo qual é revelado se torna sua grande vitrine diária. 

Nossos garotos – Sasha, Aylon, Valdívia, Arthur, William, Rodrigo Dourado, entre outros, formam o time do celeiro de ases que busca mais do que consolidação no time principal, mas uma carreira a ser lembrada. E, acreditando no talento dos meninos, acreditamos também no potencial do clube em revelar os próximos craques do futebol brasileiro. 

Obviamente, apresentei motivos que me fazem ver o grande potencial que temos em campo, se tratando da juventude que depois de muito tempo apareceu no time titular do Inter. Continuo sem crença alguma no trabalho limitadíssimo de Argel, que pode, inclusive, prejudicar o desempenho dos meninos em campo. Mas, sendo otimista, creio que estes jovens jogadores farão completa diferença na temporada 2016.

Curta nossa fanpage!