quarta-feira, 16 de março de 2016

De sonhos em sonhos

O mito Marshall Mathers voltou ao Brasil e
encontrou mais d
e 80.000 fãs em Interlagos.
As dores nas costas eram incontáveis e a ansiedade atrapalhava o sono a se instalar. Quatro da madrugada do dia 12 eu estava em São Paulo para, enfim, realizar um sonho de adolescente – assistir a um show do rapper Eminem. Viagem de mais de oito horas de Belo Horizonte até a capital paulista sentada em um nada confortável banco de uma van.

Enquanto lia as placas pelo caminho, pensava no quanto foi difícil estar ali. Mas esse é o sentimento que tenho comigo após ver o espetáculo que ele proporcionou a mais de 80.000 fãs no Autódromo de Interlagos – valeu a pena. E valeu a pena demais. Foram anos como fã de um cara que só tinha vindo ao Brasil em 2010, quando eu não tinha dinheiro nem para comprar o lanche da escola. Quando expus à alguns amigos e alguns familiares a vontade de vê-lo de perto, apenas ouvi “esquece”. E ali estava eu, a poucos metros daquele que me motiva mais do que os que convivem comigo. 

O mesmo aconteceu quando comecei a torcer pelo Inter, em meados de 2009. Me falaram que era besteira ter o sonho de conhecer o Beira-Rio, porque “tudo é longe demais”. E ouvia sem parar: “esquece”. É sempre intrigante como as pessoas são capazes de nos motivar, não é mesmo? Rs. 

Sempre tive muita paciência em relação aos meus sonhos. “Um passo de cada vez”, pensava. Mas para todos ao meu redor eram coisas difíceis demais de se alcançar. Mas é justamente a falta dessa visão que me faz diferente de muitas pessoas que conheço – não se realiza nada sem correr atrás. O problema da maioria deles é querer demais e permanecer estagnado. 

Este ano começo a produção do meu trabalho de conclusão de curso (TCC). O tema, descrito como “desafiador” pelo meu orientador, vai girar em torno das estratégias da Assessoria de Comunicação, da profissionalização dos gestores e da construção da identidade corporativa de clube-empresa do Internacional. 

Se eu já ouvi “esquece”? Mas é claro, meus amigos! Não é um tema que pode ser estudado daqui de Minas Gerais e todo mundo sabe disso. Mas é exatamente por ser desafiador que eu farei. E finalmente, em agosto, estarei pisando em solo gaúcho para dar início às minhas pesquisas, graças à ajuda de grandes amigos que tenho em Porto Alegre. 

Realizar o sonho de ter ido ao show do Marshall não tem preço, mas realizar o sonho de ir ao Beira-Rio pela primeira vez será uma sensação indescritível para mim. Quando Eminem cantou “Lose Yourself”, ao final do show, chorei e me emocionei demais, pois é uma de suas músicas que mais me motivaram ao longo dos anos. Imaginem quando eu ouvir “Minha Camisa Vermelha”? Esperem lágrimas infinitas. 

E, aos poucos, tudo vai se realizando. O importante é não desistir e sempre lutar pelos objetivos. Quem conhece a história do Eminem sabe o quanto ele lutou pelos seus sonhos e pelo rap. Tem muita gente que diz que isso é falácia, mas sendo sincera, funciona desse jeito para mim. 

PS: Vamos esquecer por dois segundos a fase horrível do Inter com esse treinador medíocre e mergulhar no meu sonho de conhecer o Beira-Rio, ok? Hahahaha. 

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa fanpage!