sábado, 30 de novembro de 2013

Irreconhecível

O tipo de foto que não precisa de legenda
Este ano confirmou-se uma estranha sensação que pendura desde alguns momentos de meados de 2012. Uma sensação de falta de identidade com aquilo que amo acima de muita coisa. Alteraram o cenário da paixão do torcedor – não me identifico com aquilo que vejo no gramado: os jogadores não parecem me representar, o vermelho da camisa nem está mais tão vibrante, o comodismo que se instalou alterou drasticamente a visão de um colorado – aquilo que vejo não é o que eu realmente amo. 

É completamente diferente apoiar o time nos momentos ruins quando eles merecem esse apoio. Isso é ser o real torcedor. No nosso caso, o time, a direção, o clube inteiro não merece nossa atenção. Luigi e seus comandados tranformaram o Inter em algo que nenhum torcedor consegue admirar. O que restou de tudo isso é a nossa devoção para com este escudo que só não amamos mais que nossa família e amigos. O Inter está irreconhecível. 

Há dias atrás, assistindo a mais um jogo, parei e pensei no motivo real que me fazia estar ali presenciando mais um desastre daquilo que eu desconheço como “meu time”. Cheguei à conclusão de que o escudo que eles carregam é o que me mantem conectada com todos eles – acredito ser a única coisa. Chegamos em um patamar onde o torcedor não acredita naquilo que vê, mas permanece ali porque é o torcedor apaixonado. Mas não sejam cegos, devemos ser mais que meros torcedores (sejam eles de arquibancada ou de sofá – como eu que moro a quilômetros de distância). 

Será que o torcedor entende o poder que possui? Será que nos momentos ruins devemos apenas apoiar para que o time não se desmotive por completo? Onde está a voz uníssona dos mais de 100.000 sócios? Por que nós não somos unidos o suficiente para cobrar uma mudança drástica no clube? Será realmente preciso um rebaixamento para tranformar o Inter naquilo que ele jamais deveria ter deixado de ser, aquilo que nós realmente amamos e nos identificamos? 

Sempre levaremos conosco nossa camisa vermelha, é o que nos torna iguais. Mas e nossas atitudes? Vejo torcedores que estão de lados totalmente opostos sobre a atual situação do Internacional como clube. Como isso é possível se tratando de poucos pontos até chegarmos à zona da degola? A situação alarmante do colorado é extremamente explícita, só não enxerga quem não quer enxergar! 

Não entendam apenas de futebol quando é a hora do jogo meus caros, entendam do futebol quando ele está fora das quatro linhas. É disso que muitos torcedores precisam. Alguns reclamam dos torcedores de sofá (como eu, sempre discutindo), mas quando está nas arquibancadas apenas sai de sua boca gritos de apoio incondicional que neste momento deveriam ser de manifestação. Vaias são sinônimo de insatisfação temporária – não são propriamente características de uma manifestação ou de um protesto. 

Torcedor colorado, manifestar pelo bem do clube não é um erro. Não vejam o modo agir de forma negativa, você tem o poder, só precisa reconhecer isso. Infelizmente, eu não admiro nem um pouco aquilo que vi o ano inteiro – dói no meu coração dizer que isso não foi o que eu realmente aprendi a amar. 

Permaneço aqui, implorando por mudanças, torcendo – para este time que não representa nenhum de nós – não ser rebaixado. O que nós amamos e amaremos por todo o sempre é o escudo – ele sim tem história e carrega nossa paixão. Pena que aqueles que levam o escudo no peito não percebem o quão importante, especial e único ele é.

Curta nossa fanpage!