domingo, 1 de março de 2015

Torcida mista, placar misto

O brilho da partida: a torcida mista | Foto: Alexandre Lops
Grenal é o jogo da emoção, é o risco que vale a pena correr, é o jogo da vida dos vinte e dois dentro de campo. Mas, eis um fato: um grenal de reservas perde um pouco o brilho. A rivalidade é a mesma, mas a gana por vitória é diferente. E defendo o pensamento ainda mais quando o clássico termina em 0x0. Afinal, alguém tem que vencer para confirmar a supremacia sobre o rival.

Mas isso não aconteceu. O Inter jogou com praticamente todo o time reserva, composto por jogadores jovens e afobados. Talvez esse seja um dos motivos pelo qual Valdívia não se firmou como titular - sua afobação e desespero não desapareceram. Embora com boa movimentação, o time errava muitos passes. 

Nilmar foi muito acionado e por pouco não marcou. É impossível não admitir como o camisa sete é diferenciado. A característica forte do drible com velocidade e as jogadas trabalhadas é observada por Aguirre. O uruguaio sabe da capacidade do "guri de 30 anos". O destaque do jogo foi Anderson, que se infiltrava no campo gremista com muita facilidade, ao criar e se movimentar para receber a bola. Alex também se destacou no meio campo. O Grêmio conseguiu equilibrar o jogo na metade da primeira etapa - abusou das passagens pela lateral direita do Inter. Winck foi nulo defensivamente.

O brilho do grenal 404 ficou nas arquibancadas. A torcida mista deu um exemplo de civilidade e maturidade, provando que a rivalidade de cerrar os dentes não deve sair de campo. Os incidentes de fora do estádio é que mancham o espetáculo do clássico, onde torcedores atiram pedras uns nos outros como se isso fosse capaz de provar algo. Será que essas pessoas ainda não entenderam que tudo deve ser decidido com futebol?

Como todo grenal, o jogo foi truncado e com muita marcação. No segundo tempo, o Inter esteve melhor, com mais posse de bola e sendo mais ofensivo. A saída de Alex fez com que o colorado perdesse a força do setor criador, mas a entrada de Alisson Farias rendeu ao Inter ainda mais espaço no campo do Grêmio. No fim do jogo estávamos recuperando a bola com extrema facilidade e pressionando nosso rival em sua pequena área. E, embora a partida tenha ficado um pouco mais emocionante no fim, o placar não se alterou.

As mudanças de Aguirre surtiram efeito, mesmo que o gol não tenha saído. É importante frisar que enfim temos reservas a altura dos titulares. É assim que se vence campeonatos importantes, quando se tem peças de reposição que consigam dar continuidade ao rendimento da equipe principal. 

E acabou assim: Jogo misto, torcida mista e placar mais misto ainda.

Um comentário:

  1. É isso aí mesmo, e nunca esquecendo que o inter jogou totalmente com os reservas, isso ninguém fala .

    ResponderExcluir

Curta nossa fanpage!