quarta-feira, 11 de março de 2015

Entendendo o esquema tático

Dupla que deu certo. | Foto: Alexandre Lops
Durante a semana muito li e ouvi de torcedores colorados diferentes formas de se interpretar o novo esquema tático de Aguirre - o 3-5-2. Percebi que muitos não entendem de futebol, que outros não sabem o que estão dizendo e outros que confirmam a minha tese de que é necessário aplicar mudanças pelo bem do time.

No jogo (ou treino? rs) contra o Aimoré foi fácil perceber a intenção do treinador uruguaio na mudança do esquema tático - Aguirre quer um trio defensivo com os alas adiantados e um meia a frente dos volantes que guardam posição. 

É importante destacar que o novo esquema surtiu efeitos no jogo, mesmo que o adversário não possa ser comparado com o que enfrentaremos na Libertadores. Mas, afinal, é para isso que serve o estadual - para testes.

O grande problema são justamente os alas adiantados. Os jogadores "titulares", Léo e Fabrício, não sabem se portar como alas, não têm características de alas. Ou seja, o esquema já encontra um defeito logo de início - Alex como o meia precisa de apoio dos alas na criação e abastecimento dos homens de frente. E com esses jogadores atuando como alas, essa intenção é descartada.

A solução que tenho, infelizmente, se torna um pouco a longo prazo. Precisaríamos da volta de D'alessandro o mais breve possível para ver o time jogar bem com a nova tática. Alex entraria como ala esquerda e Cláudio Winck como ala direita. 

Mas os grandes admiradores do pseudofutebol de Fabrício me questionam e tento entender o por que, afinal, o lateral é muito deficiente. O camisa 6 não acerta um cruzamento se quer e nunca apoia, além do Inter levar sempre muitos gols pelas suas costas. Que futebol é esse digno de admiração? 

O mesmo digo para Léo - é fraco demais para sequer ser cogitado como titular.

Alguns colorados levantaram uma questão: "Muricy foi três vezes campeão com esse esquema tático". Tudo bem, mas só o esquema tático não vence jogo e não ganha campeonato. É ilusão pensar que isso resolve! Do que adiantar aplicar um esquema que não vai ser bem cumprido por causa das deficiências dos jogadores? Se você não cumprir a função exigida na tática, ela somente não altera o placar a seu favor. 

O destaque do jogo contra o Aimoré ficou por conta de Lisandro López, que é veloz no drible, tem bom enfrentamento, é participativo e bem aguerrido. Enfim temos em quem confiar no ataque colorado.

O 3-5-2 tem tudo para dar certo, Aguirre só precisa de mais tempo para encaixar as peças de forma mais inteligente. Eu confio no trabalho dele. E você?

12 comentários:

  1. Eu confio em ti linda, se tu falou, está falado!

    ResponderExcluir
  2. Concordo em termos, por ex: acho que o Alex não daria conta na ala esquerda. Não trocaria o Léo pelo Winck.


    Vou até te dar meu time nesse esquema:

    Alisson
    AC Nilton Réver


    Aránguiz Nico


    Léo Dale Sacha




    Vitinho Nilmar

    ResponderExcluir
  3. É um bom time, mas o Léo não é um bom lateral.

    ResponderExcluir
  4. é isso guria, deixem o home trabaia!!!!

    ResponderExcluir
  5. Bem lembrada a situação do muricy no são paulo com o 3-5-2, ele tinha jorge wagner de ala na esquerda e souza(que tá no passo fundo) na direita, jogadores que eram meias, logo conseguiam dialogar melhor com o meia do time que, em 2006, era o danilo, nos outros anos eu não lembro quem era...

    ResponderExcluir
  6. A característica que fez o Fabrício ser contratado ,e hoje ser titular do Inter, é a qualidade no apoio. Na portuguesa, ele jogou como meio-campo, pelas suas características ofensivas. Ano passado, fez vários gols e assistência. (Não estou dizendo que acho ele bom ou ruim, apenas são fatos, e contra fatos não há argumentos). E eu gosto de ser prático, invenções que eu sei que não vão ser feitas, não vou cobrar. Por exemplo: Alex na lateral esquerda. Não vai acontecer e ponto. Winck já é um super banco do Inter, e não acho nenhum absurdo, Léo correspondeu melhor esse ano. O Aguirre tem o direito de fazer escolhas. Eu gostaria do Paulão pela esquerda, nosso zagueiro mais rápido, mais eficiente na cobertura, mas o Aguirre ja decidiu que não pensa assim, paciência. O time do meio pra frente vai ser difícil montar, acho que os 3 zagueiros não continuarão muito tempo. Tem muita gente boa, e pouca vaga. Tirar um meia por um zagueiro, acho que ele não vai manter isso. Aranguiz, Anderson, D'ale, Sasha, Nilmar, Lizandro, são os com mais chances de disputarem as vagas de titular, mas tem Vitinho, Alex, Jorge Henrique...


    Te escutei no "Esporte e companhia" da Rádio Gaucha, ano passado. Gostei do modo que vc pensa o futebol.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Victor.Obrigada! Sim, contra fatos não há argumentos, mas opiniões constituem o que é o futebol. Este time que você citou será o mais provável, mas se Aguirre jogar com o esquema implantado na partida de ontem, certas "invenções" (eu chamaria de improvisos) acontecerão. O esquema 3-5-2 é ótimo para os nossos laterais titulares, mas se o esquema mudar, o time vai perder muito, pois são jogadores nulos defensivamente.

    ResponderExcluir
  8. Pois é, mas vamos ver até quando o Aguirre vai aguentar manter jogadores "medalhões" no banco. Alex, no 3-5-2 só se fosse na ala esquerda mesmo. Mas eu acho bastante improvável. E pra jogar Lizandro e Nilmar, Sasha tem que sair, o que seria errado na minha opinião. O modo fácil, seria voltar para os 2 zagueiros, e colocar mais um jogador ofensivo. Mas vamos ver... Pelo menos temos um ótimo elenco, principalmente para o Brasileirão.

    ResponderExcluir

Curta nossa fanpage!